quinta-feira, setembro 06, 2007

but good news, is better news!

Emigrei pas Franças!

Estou a viver o sonho. Sou Parisiense. Hoje saí à rua, sem mochila, sem mapa na mão, sem estar de calções, misturei-me na multidão. No meio de tantos marroquinos, indianos, argelinos e europeus do leste eu passei por francês.

Cheguei ao aeroporto às 11.30, ao 12:10 recolhi a minha mala e tinha o Elric o meu Erasmus Buddy com o belo do cartaz: Fonseca Pedro. Ele estava ao telefone, pediu desculpa e continuou a falar ao telemóvel. Seguimos para o carro com o Elric sempre agarrado ao tlm, ele pagou o estacionamento e ao chegarmos ao carro ele fica a olhar para mim com um olhar muito espantado... o carro não estava lá. "mas eu deixei o carro aqui" e eu "moins deux ?" Estava no piso inferior. Ficou logo esclarecido que me ia desenrascar no que toca ao francês e à movimentação da cidade. Quando entrámos no carro (finalmente desligou o tlm) é que começámos a trocar mais umas palavras, levou-me à faculdade para que ficasse a saber onde era e onde marquei uma reunião para terça-feira na qual tenho de rever as cadeiras que escolhi com os serviços administrativos.
De seguida o Elric levou-me à cité universitaire sítio onde eu já tinha um quarto reservado. Agradeci-lhe muitas vezes por andar comigo para trás e para a frente (ele não conhecia o sítio), safou me de ter de andar perdido em Paris com uma mala de 27 kg e uma mochila de 8 ou 9.

A cidade universitária é qualquer coisa do outro mundo, ao todo há 37 residências e digo-vos que são todas edificios imponentes alguns com uma idade avançada mas nem por isso maltratados. Quando eu tirar umas fotos vão ver como o sitio onde estou é bonito. Entre as residências existem caminhos pedonais e grandes relvados, vêem-se campos de jogos ao longe, dá a ideia dos campus universitários que se vê nos filmes de hollywood.

Cheguei as 13.45 à recepção da Maison du Portugal mas esta só abria às 14h. Quando a Valentine chegou tratámos da papelada e por erro deles o tipo de quarto que eu tinha reservado não está disponível até dia 1 de Outubro. isto quer dizer que me deram um quarto maior, para duas pessoas com cama de casal e quarto de banho privativo até 30 de setembro!
Por um lado é óptimo, por outro criou um conflito interno. Desfaço ou não desfaço a mala ? É não tenho a certeza que consiga voltar a por tudo lá dentro.

A verdade é que às 14.30 já estava instalado e podia dar inicio à minha missão. Comprar uma toalha de banho. Saí e ao passar na recepção perguntei onde era o super-mercado, chegado lá comprei algo para almoçar e depressa constatei que se queria cumprir a missão tinha de procurar um hiper-mercado. Então olhei para o mapa e decidi continuar por aquela rua a ver e à procura de uma loja de texteis lar. E andei andei... só neste passeio de 2 horas e tal vi coisas que nos sítios normalmente frequentados (vulgo Porto e Vila do Conde) era quase impossível ver. Por exemplo uma parada dos bombeiros sapadores de Paris (eram para cima de 10 como dizia o outro) e uma loja que só vendia barómetros.

A brincar a brincar fui da cité universitaire ao Louvre "a pied" que é como os franceses dizem "à pata". Do 14ieme ao 7ieme (até St Germain de Prés) em duas horas e pouco, uns 7 kilómetros ou mais. Escusado será dizer que toalhas nada, até cheguei a entrar em duas lojas...
Apanhei o metro de regresso (metro + RER) e aprendi que a estação da cité universitaire é a ultima daquilo que é considerado Paris, a partir daqui é considerado periferia.

Ao voltar descansei um pouco e parti para uma nova busca, de novo passei na recepção a perguntar pelo carrefour ou auchan mais próximo (o conceito de hyper-marché para eles é o supermecado da esquina) ao que me indicaram nada mais nada menos que o mais próximo na paragem seguinte à de St Germain de Prés, boa neca!, voltar pa trás. Lá fui eu outra vez, desta vez a aproveitar para assimilar que esse é o caminho que terei que fazer todos os dias para a fac. Chegado ao destino dei comigo num shopping com metade das lojas já fechadas o qual percorri com grande "vitesse" mas sem conseguir encontrar o hiper-mercado. Saí perguntei a um polícia na rua que me disse que o carrefour é lá dentro no fórum, mas agora está fechado.

:s

Enfim... não há muito a fazer. Já que estou ali ao lado vou ver o centro Pompidou e pelo caminho o McDonalds pisca-me o olho e eu que tenho que livrar o meu sistema do violento jantar de despedida da noite anterior levo um big mac para comer na praça, sentado no chão com outra dúzia de pessoas apenas a apreciar a noite abafada e a arquitectura inconfundivel do centro.

Ligo à Leninha que diz que quase não sente a minha falta :p E conto lhe que estou a fazer o que devia ser o desporto nacional francês, comer McDonalds sentados no chão a olhar para um edificio que apoé tantos anos parece sempre a primeira vez que se olha para ele.

Começa a ficar escuro e tal portanto o regresso é apressado, farto de gastar 1,50 euros nos bilhetes de metro pago 53€ por um passe mensal. Do centro de Paris até à cité são só 5 paragens. Entre a estação e a residência entro num mini mini mercado manhoso onde compro um pacote de bolachas, um champô e um sabonete de azeite. Resolvi o problema do pequeno almoço e do banho, só não tenho onde me secar! ( e tu dizias que eu trazia t-shirts a mais ).

O dia de amanhã está reservado para a busca da toalha novamente e vou aproveitar para tirar umas fotos.

Espero que já estejam alertados para o site www.byneca.com porque parecendo que não, ainda deu trabalho e é lá que tenciono por as fotos que vou tirando.

Espero ter passado a mensagem do que estou a sentir, Paris é a cidade mais cosmopolita que conheço, pode-se ver de tudo aqui!

Até já,

neca.

3 comentários:

biZarre disse...

pois pois
sinto um misto de saudades infinitas com inveja verde.. hum

baby come back! estas perdonado ;)
***********

Маша disse...

soube ha mt pco tpo q ias de erasmus e achei brutal!
espero q aproveites bem, o erasmus, a cidade... a melhor das sortes aí! beijos (sinceros)

sarita disse...

primo!

ufa, ja sobreviveste um dia.
agora é so fazer figas e esperar que os proximos cento e tal se mantenham assim: com novidades em cada esquina :)

muitos beijinhos *